Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

isi life

healthy life, food & travel

isi life

healthy life, food & travel

Porque é que (já) não recomendo a Dieta dos 31 Dias - Parte 1

16.08.15 | Sara Isidoro
26f850c6d3fa8c2692f03de3438be711Como muitos dos meus leitores sabem, principalmente quem segue o meu blog Isi Bimby eu já fui quase "fã" da dieta dos 31 dias e até usava pontualmente produtos alimentares recomendados nos livros da autora (como gelatinas light, queijo magro, stevia, etc) que agora não entram de forma alguma na minha casa. Porque é que mudei a minha opinião quanto a este assunto? Simplesmente porque comecei a ler os rótulos das embalagens e  deixei de acreditar no mito que "as gorduras são más e engordam". Continuo a achar que pode ser uma dieta para ser seguida no máximo de 2 ou 3 semanas (como transição), para pessoas que têm uma alimentação mesmo muito má e pretendem lentamente melhora-la. No entanto esta não é uma dieta saudável e não pode ser nunca o último passo de uma reeducação alimentar! Porque é que não recomendo esta dieta?Sejamos honestos: nenhuma dieta que permite a ingestão de refrigerantes e produtos light cheios de aditivos (para compensar no sabor) é uma dieta saudável.[caption id="attachment_1789" align="aligncenter" width="468"]cocacola_light Ingredientes Coca-cola light em Portugal: água, dióxido de carbono, corante caramelo E-150d, edulcorantes: E-952, E-950 e aspartame, acidificantes: E-338 e E-330 e aromas naturais (incluindo cafeína). Contém uma fonte de fenilalanina.[/caption]Ao ler o rótulo de uma refrigerante como o acima mostrado, é fácil perceber que é um produto alimentar nutricionalmente vazio e prejudicial À nossa saúde, sendo que este é maioritariamente constituído por aditivos (apenas um ingrediente é natural - a água). Infelizmente muitos consumidores (e alguns profissionais da área da nutrição) ainda continuam a olhar apenas para o número de calorias ou percentagem de gordura ou açúcares, ignorando os seus ingredientes.Outro excelente exemplo são as gelatinas light que entram no cardápio diário deste tipo de dietas. Vejamos o rótulo de uma das marcas mais recomendadas:[caption id="attachment_1790" align="aligncenter" width="640"]20150616_153302 Gelatina “Sem açúcares”[/caption]Ingredientes: Maltitol – é um tipo de açúcar, que tal como o açúcar “de mesa” eleva os níveis de glicose no sangue. Este é o componente mais abundante no preparado – para um produto denominado de “sem açúcares” começamos bem; Aspartame – adoçante artificial, contraindicado para pessoas com Fenilcetonúria; Acessulfame K – adoçante artificial, contraindicado para pessoas com problemas renais – como indicado no rótulo o excesso de edulcorantes pode causar efeitos laxativos e outros problemas gastrointestinais; Gelatina (15.7%) – o ingrediente que dá o nome ao produto… Mas afinal a “Gelatina” só tem 16% de gelatina (um dia mais tarde irei escrever um artigo a explicar de onde vêm esta gelatina); Ácido fumárico – regulador de acidez; Citrato de sódio – regulador de acidez; aromas – aromas artificiais criados em laboratório. Para saber mais sobre as gelatinas usadas nas dietas clique AQUIPorque é que não resulta a longo prazo?"Não deves começar nenhuma dieta que não consigas seguir durante toda a tua vida" - li isto em alguma sítio e é completamente verdade. A grande maioria dos indivíduos que seguem este tipo de dieta (low carb tipo D31, atkins, dukan, south beach, etc) volta a ganhar o peso que perdeu, e frequentemente ainda ganha mais uns quilinhos. A principal razão? É simples: deixam de seguir a dieta em questão... Uma alternativa mais saudável...Para quem procura uma alternativa a este tipo de dieta pode começar a procurar no google "Dieta paleo" (ou melhor: estilo de vida paleo) ou até "Dieta paleo low-carb". (Fiquem à espera da parte 2 deste artigo para saberem mais.) 

6 comentários

Comentar post