Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

isi life

healthy life, food & travel

isi life

healthy life, food & travel

Afinal para que servem os modelos?

17.07.15 | Sara Isidoro
Ao vermos estas fotos (penso) que a todos nós chegam pensamentos relacionados com anorexia, maus exemplos, estereótipos completamente errados e falta de saúde, certo? Até aqui tudo bem. Então, todos concordamos que NÃO é este exemplo que queremos dar aos nosso jovens, adolescentes e crianças? Ok… Vejamos agora as fotos abaixo:tumblr_ng4m9vvRMP1qj6wguo1_500 Esta senhora chama-se Tess Holiday, tem 22 anos é modelo plus size e assinou há alguns dias um contrato com uma agencia de modelos famosa em Nova York. Desde aí, anda “nas bocas do mundo” e é apoiada por uma multidão de fãns.Israel_bans_skinny_models_829410319Expliquem-me agora, se apoiar e promover uma pessoa com obesidade mórbida numa carreira deste tipo, (onde serve de “modelo” para muitos) não é tão mau como por uma modelo com anorexia nas capas de revistas?! Não entendo… Não existe forma cientifica de suportar a ideia que uma pessoa com este peso possa ser saudável! É este o exemplo que queremos dar? O da doença? Claro que também concordo que a maioria das top models são magras de mais, mas também não apoio isso.Tess3O apoio e promoção de estereótipos desviados da realidade (ou da realidade ideal) criam e moldam gerações com objectivos e visões errados! Seja colocando modelos exageradamente magros ou obesos na comunicação social! Penso que cada um se deve sentir bem no corpo que tem, mas que isso não os impeça de procurar o ideal de saúde. E para além desses efeitos psicológicos no público, existem também os custos directos (tratamentos e medicação dos sintomas da síndrome metabólica, por exemplo) e indirectos (custos relacionados com a produtividade, custos de transportes, material hospitalar – como macas XL, etc.) – pagos por todos nós, contribuintes.Promover a doença não faz sentido. E enquanto que a luta contra a anorexia nas passerelles está, depois de muitos anos, praticamente ganha, o aumento de modelos obesos cresce como nunca visto… Vamos deixar que a doença sirva de imagem de marca outra vez?